De desempregado a microempresário: crie você mesmo a empresa onde gostaria de trabalhar (Parte IV)

Tema(s): Abrir empresa, Empreendedorismo

Razão Social, Nome Fantasia e Marca: entenda a diferença entre eles! Na quarta parte da nossa série “De desempregado a microempresário”, vamos falar sobre um tema que ainda gera confusão entre muitas pessoas: a diferença entre razão social, nome fantasia e marca. Nos artigos anteriores, explicamos como um freelancer pode se formalizar como Microempreendedor Individual (MEI) e depois como Microempresa (ME). Se você ainda não leu, acesse: Parte I- Freelancer: o começo da jornada Parte II- MEI: um grande passo para a formalização do freelancer Parte III- De MEI a ME: criando a sua própria microempresa Se você, assim como o nosso personagem… leia mais

Continue lendo...

De desempregado a microempresário: crie você mesmo a empresa onde gostaria de trabalhar! (Parte III)

Tema(s): Abrir empresa, Contabilidade Online, Empreendedorismo, ME, MEI

De MEI a ME: criando a sua própria microempresa Nos artigos anteriores da série “De desempregado a microempresário”, falamos sobre como uma pessoa que está desempregada pode se reerguer profissionalmente atuando como freelancer e se formalizando como MEI (Microempreendedor Individual). Se você ainda não leu, acesse: Parte I- Freelancer: o começo da jornada Parte II- MEI: um grande passo para a formalização do freelancer Dando prosseguimento à história do nosso personagem Mariano, após se formalizar como MEI, ele começou também a prestar serviço para escolas e empresas como produtor de eventos infantis. O negócio cresceu tanto que, depois de um… leia mais

Continue lendo...

De desempregado a microempresário: crie você mesmo a empresa onde gostaria de trabalhar! (Parte II)

Tema(s): Empreendedorismo

 MEI: um grande passo para a formalização do freelancer Se você tem uma excelente qualificação, mas está sem crachá há um certo tempo, saiba que, além da carteira assinada, há muitos outros caminhos para você decolar profissionalmente. No artigo anterior, falamos sobre como uma pessoa desempregada pode se tornar um freelancer de sucesso. Se você ainda não leu, acesse: Parte I- Freelancer: o começo da jornada Relembrando um pouco a história que narramos no artigo anterior: Mariano trabalhava como analista de comunicação e marketing de um grande buffet infantil, mas depois de três anos, foi demitido. Sem conseguir um novo… leia mais

Continue lendo...

De desempregado a microempresário: crie você mesmo a empresa onde gostaria de trabalhar! (Parte I)

Tema(s): Empreendedorismo

Freelancer: o começo da jornada Mariano trabalhava em um buffet infantil de grande porte, como analista de comunicação e marketing, e ganhava um salário acima da média. Depois de três anos com carteira assinada, foi demitido. Mariano utilizou o FGTS e o seguro-desemprego para pagar as contas, viajar, descansar e depois de um certo tempo, voltou a procurar emprego. Entregou currículos em diversas empresas, se inscreveu em sites de busca de vagas, mas quando surgia alguma oportunidade, o perfil buscado era de estagiário.  Às vezes ele era chamado para algumas entrevistas, mas logo depois do processo seletivo, ou não obtinha… leia mais

Continue lendo...

Até quando ser MEI é um bom negócio?

Tema(s): Alteração Contratual, MEI

O Micro Empreendedor Individual é uma opção para quem quer sair da informalidade e ter um CNPJ para começar seu negócio. A partir do cadastro você fica apto à emissão de notas fiscais (facultativo em alguns casos), pode abrir conta corrente da pessoa jurídica, contribuir para a previdência social e cobrar de seus clientes por meio de boletos bancário ou maquinetas de cartão de crédito e débito. Pode se inscrever no MEI: Quando o faturamento é até R$ 60 mil por ano (média de R$5 mil por mês); Quando a(s) atividade(s) a ser(em) desenvolvida(s) é(são) permitidas no MEI; Quando pretende… leia mais

Continue lendo...

Eu devo declarar no IRPF 2016?

Tema(s): Contabilidade Online

Chegamos na época do ano em que devemos fazer a nossa declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2016 (IRPF 2016). Mas todo ano a mesma dúvida surge: Será que eu preciso declarar o imposto de renda este ano? Este pequeno artigo vai te dar essa resposta. Deve ser apresentada a declaração de imposto de renda em 2016 se você: – Recebeu rendimentos tributáveis superior a R$ 28.123,91 no ano de 2015.  Um empresário, por exemplo, tem este tipo de renda através de retirada de pro-labore da sua empresa; – Recebeu capital sob alienação de bens, direitos, posse de terrenos e/ou imóveis… leia mais

Continue lendo...