Conheça os erros mais comuns cometidos na gestão financeira de uma empresa

Tema(s): Empreendedorismo

Nem sempre apenas querer que o seu negócio dê certo é garantia de direcionar a sua empresa para o sucesso. A sofisticação da tecnologia alcançou patamares nunca antes vistos, o que auxilia os gestores a obterem níveis cada vez mais altos de qualificação profissional. Não basta mais seguir os conselhos de outrora na administração de manter os olhos bem abertos nas contas, mantendo-as na ponta do lápis. Mesclar o lado prático com técnicas de gestão financeira impedem erros comuns oriundos, em muitos casos, pela inexperiência do gestor até mesmo para saber se a empresa é de fato lucrativa. Alguns deslizes financeiros são mais comuns nos primeiros anos de vida do negócio, o que eleva também as estatísticas de fechamento de empresas com até 3 anos de existência, segundo o Sebrae. Por isso, selecionamos os erros mais comuns na  gestão financeira para que você avalie o seu panorama atual, realize mudanças e garanta, assim, o crescimento do seu negócio.

Não ter um plano financeiro para os negócios

Antes mesmo do início da vida de uma empresa é preciso detalhar todos os custos envolvidos, incluindo também os indiretos. Vale anotar, relacionar em uma tabela os gastos em planilhas ou, preferencialmente, em um software especializado. Absolutamente tudo deve ser registrado. Do aluguel às contas de luz, água, materiais, fornecedores e recursos humanos. O controle financeiro é decisivo para o sucesso.

Não ter um fluxo de caixa projetado

Identificar as contas a pagar e receber ao longo do mês e dos anos é fundamental para que você consiga acompanhar a evolução do seu negócio e, claro, prever possibilidade de investimentos, necessidades de ajustes e até mesmo os problemas nas finanças da empresa. O ideal, inclusive, é que este planejamento seja feito englobando os 36 meses seguintes. O objetivo é ter uma visão variável do fluxo de caixa e garantir a sustentabilidade do negócio.

Não controlar o projetado x realizado

Somente na prática dá para saber se o que foi planejado realmente aconteceu, se é preciso fazer ajustes, conseguir aumentar o capital de giro, dentre outros. Porém, para que tenha efeito, o controle financeiro projetado deve ser o mais próximo do  realizado possível. Por isso, é preciso acompanhar esta questão  continuamente.

Misturar finanças pessoais com as da empresa

A partir do momento em que a empresa é criada, as pessoas física e jurídica devem ser separadas, bem como suas contas e as transferências entre elas. A empresa é sua, o dinheiro dela não. Uma coisa são os gastos e receitas dos sócios, outra são os compromissos e lucros da empresa. Por isso, todas as movimentações devem ser registradas. Tenha em mente que o negócio deve ter seu caixa próprio e, acima de tudo, ser autossustentável.

Não ter controle do estoque

Saber o que tem para não vender o que não tem, para não faltar mercadorias para as vendas e para não manter dinheiro investido parado. Simples assim! Armazenar itens com pouca demanda ou correr o risco de ver produtos com data de validade vencendo são algumas das consequências de não controlar o estoque, que é, na verdade, perda de dinheiro! Por isso, o estoque da sua empresa requer atenção especial.

Gastar todo o lucro

Se a sua empresa obteve uma lucratividade superior a 30%, a recomendação éuma só: reinvesta no negócio, mas sempre mantenha umamargem de segurança para gastos de fim de ano (como 13º dos funcionários) e imprevistos, por exemplo. No mais, convém reinvestir na própria empresa para, aos poucos, promover a expansão do negócio ou na requalificação dos colaboradores por meio de cursos especializados.   O conhecimento é a peça-chave para o sucesso de qualquer administração. Se palavras como balanço patrimonial, controle, fluxo de caixas ou outros termos aqui citados soam estranhos e a matemática nunca foi seu forte, não há motivo para desistir de abrir um negócio. Contar com a ajuda de profissionais especializados ou uma empresa de contabilidade tem muito a ajudar! Acesse nosso site e veja como podemos fazer a diferença para o seu negócio.