Aprenda uma forma infalível de investir o seu dinheiro

Tempo de leitura: 10 minutos
Tema(s): Contabilidade Online

Você quer, de uma vez por todas, aprender o passo-a-passo para investir o seu dinheiro, com o menor risco possível e levando em consideração o seu custo de oportunidade?

Não desgrude o olho da tela, pois as dicas serão poderosas!

Antes que eu me esqueça, já que não sei se você me conhece muito bem, vou me apresentar: meu nome é Rafael, sou CEO da Agilize, e quando tinha 22 anos acumulei um patrimônio de R$ 1.042.000,00. Pode parecer estranho ter conseguido tanto com pouquíssima idade, certo? Mas o que eu fiz não é nenhum segredo, pois vivo dizendo por aí: comprei ações!

Essa narrativa lhe soou familiar, né? Calma (risos)! Tudo que disse acima não é verdade! Não acredite nisso! Essa, definitivamente, não é a minha história!

Nesse artigo irei lhe mostrar o caminho mais funcional para fazer um investimento. Não vou me basear em “cases” de pessoas que, por um motivo ou outro, são consideradas “pontos fora da curva.”

Educar-se financeiramente é um trabalho árduo. É construir novos hábitos. Costumo dizer que é “um caminho para os fortes”, não é para qualquer um.

Como sei que você não está aqui a toa, visto que ao ler esse artigo demonstra que tem interesse por esse tema que é imprescindível para vida de todos, parto do pressuposto que já possui um grande diferencial: o desejo pela mudança financeira; a quebra do “status quo;” a criação de novos paradigmas.

Esse conhecimento servirá para sua vida, independente de como você se observar, seja como pessoa física ou jurídica.

Para otimizar o acompanhamento do artigo, deixo um índice, logo abaixo, com os tópicos que serão abordados:

Reavalie suas crenças financeiras!

Qual impacto suas crenças podem gerar na escolha dos seus investimentos?

Você, talvez, nunca tenha se questionado a respeito disso e nem refletido sobre o quanto a resposta para essa pergunta definirá o seu futuro financeiro.

Mahatma Gandhi já dizia: seus pensamentos tornam-se suas palavras. Essas palavras tornam-se suas atitudes. Consequentemente, essas atitudes tornam-se seus hábitos. Esses tornam-se seus valores, que tornam-se seu destino.

Espero que você não esteja pensando: mas qual a relação disso com meus futuros investimentos? Isso é puro papo motivacional!

Achou que foi perda de tempo? Vou lhe provar que não!

A crença é um estado psicológico que faz com que avaliemos o mundo ao nosso redor. É o que faz emitirmos, muitas vezes, julgamento de valor referente às mais diversas situações. Isso, geralmente, produz a relativização do que avaliamos e, consequentemente, nos diferencia uns dos outros.

Perceba que tudo isso acaba por interferir na sua tomada de decisão, em qualquer área da sua vida. Logo, a sua situação financeira está diretamente ligada à sua crença.

Se sua mentalidade for constituída por crenças negativas a respeito de como você se relaciona com o seu dinheiro e, para piorar a situação, você nunca tiver feito um exame de consciência para perceber isso, sinto lhe dizer: você, muito provavelmente, tem ou terá sérios problemas financeiros na vida.

As crenças formam a mentalidade e impactam no seu jeito de se comunicar, pensar e sentir. Tudo isso colabora para construção da atitude a ser tomada e que definirá o seu resultado.

Você já deve ter ouvido frases do tipo:

  • Se eu tiver dinheiro suficiente para pagar minhas contas, já está bom demais!
  • Se “José” mudou sua condição financeira para melhor, deve ter sido com algo ilícito. Porque eu não acredito que ele mudaria tanto!
  • Uma boa condição financeira é uma questão de sorte!
  • Quem tem dinheiro não deve ser feliz!

Há inúmeras frases pautadas em crenças negativas, por aí. Muitas pessoas não se dão conta do tanto que elas estão presentes no nosso dia-a-dia. Passe a observar mais e perceba a vida financeira daqueles que disseram algumas delas. Você vai se surpreender com as ligações entre a mentalidade (conjunto de crenças) e a situação monetária que elas enfrentam.

Para finalizar esse tópico, deixo a seguinte reflexão: porque há empreendedores que vieram a perder tudo que tinham conquistado financeiramente e, depois de chegar no fundo do poço, conseguiram se reerguer? Há inúmeros “cases” desses espalhados pelo mundo dos negócios, caso queira procurar e tomar conhecimento. Todos são muito parecidos. Reflita!

Mentalidade & Investimentos

Você pode oscilar quanto a rentabilidade dos seus investimentos. O contexto não vai lhe definir, a mentalidade sim.

Já fez as reflexões e o exame de consciência propostos? Isso é importantíssimo para seguirmos adiante. Anote tudo em um papel, crie esse hábito! Para perceber o desenvolvimento você precisará de métrica.

Sugiro ler o nosso artigo “Construa bons hábitos e obtenha o controle das suas finanças.” Você entenderá como os hábitos são construídos e isso lhe ajudará no seu desenvolvimento.

Então, vamos lá!

Após analisar de forma criteriosa as suas crenças, o próximo passo é perceber a sua antiga mentalidade para, aí, conceber a nova.

Você deve estar se perguntando: ok, já fiz os exercícios propostos no primeiro tópico deste artigo, reconheço minhas crenças, mas, e aí, como criar a tal mentalidade que causará um forte impacto nos meus investimentos?

T. Harv Eker, autor do livro “Os segredos da mente milionária,” traz alguns pontos importantíssimos para construção da mentalidade de alto impacto que irá colaborar nessa sua jornada, veja alguns e implemente-os na sua vida, já:

Motivação

O que te move não pode ser resultado de algo negativo. Já deixei isso bem claro, quando mencionei sobre as crenças limitantes referentes ao dinheiro. Estar consciente do sentimento que te impulsiona será fundamental para gerar o resultado desejado nos seus investimentos. Perceba se, ao tratar dessa questão, quem acaba por defini-la é o medo.

Não entendeu?

Por exemplo: se o que te faz ir do ponto A ao Z é provar algo para alguém ou para si mesmo e se pensa que pode resolver essa questão com o ego, desista! Não permita que o medo do julgamento, da incapacidade, lhe defina. Esse é o princípio do fim.

A busca pelo prazer, em detrimento da fuga da dor, inconscientemente, é para os fracos. Estar consciente das atitudes, isso sim, é para os fortes.

Ah, não se esqueça: sua motivação não deve ser abalada por possíveis erros. Esses só lhe impulsionam cada vez mais para o sucesso. Pois é óbvio: não os repetirá novamente.

Escolhas

Durante o processo de exame de consciência, muito provavelmente, perceberá o quanto viveu no piloto automático. Verá que muitas das suas escolhas se deram por condicionamentos. Você não decidiu por conta própria. Não pensou de forma lógica.

Quer um exemplo mais claro, né?

Aposto que você já comprou algo que não precisava, correto? Provavelmente, a compra se deu por impulso. Se usasse a razão perceberia que aquilo não era necessário.

Muitas das suas escolhas são impensadas. Boa parte do prejuízo financeiro é fruto delas. Investir não é diferente.

Use a razão e verá o impacto que isso trará nos seus futuros investimentos.

Problemas

Se você acha que uma vida sem problemas resultará numa vida financeiramente abastada, que assim colherá frutos de bons investimentos, levando em conta a análise do seu custo de oportunidade, você está totalmente equivocado.

Já disse e repito: a busca pelo prazer, em detrimento da fuga da dor, inconscientemente, é para os fracos. Estar consciente das atitudes, isso sim, é para os fortes.

A estrada para o sucesso nos investimentos é cheia de buracos, curvas e muito aprendizado.

Há um ditado que diz: quem não sabe brincar, não desce para o playground.

Os problemas fazem parte da jornada. Abrace-os! É aquela história do aprendizado pela tentativa e erro.

Investidor, qual o seu perfil?

Reconhecer-se num perfil é importante pois, só assim, poderá direcionar seus investimentos.

Ansioso para descobrir o seu? Preste bastante atenção, porque esse será um ponto crucial para poder em seguida analisar os tipos de investimentos que fará.

De uma forma geral há 3 perfis de investidores: conservador, moderado e agressivo.

Conservador

Esse tipo de investidor não costuma se arriscar. Seu foco é a preservação dos seus recursos. É o perfil mais recomendado para os iniciantes, devido o seu risco ser mais baixo, e para pessoas jurídicas também, por conta do objeto social (veremos isso mais a frente).

Tipos de investimentos conservadores: CDB (Certificado de Depósito Bancário), Tesouro direto, LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) e fundos DI (Depósitos Interbancários).

Moderado

Esse perfil define um grupo de pessoas que prezam por segurança, porém, estão mais abertos para assumirem riscos maiores. Há uma busca um pouco maior por rentabilidade acima da média.

Tipos de investimentos moderados: além dos já citados no perfil conservador, há também os fundos multimercados, fundos de ações, ações, aluguel de ações, debêntures, letras financeiras e fundos imobiliários.

Agressivo

O investidor que possui esse perfil detém um grande conhecimento do mercado e, quase sempre, possui boa parte dos seus investimentos em renda variável. Assume um risco maior, em busca de uma rentabilidade mais alta.

Exemplos de investimentos agressivos: fora os moderados, já mencionados, que fazem parte das opções desse perfil, há também os derivativos com operações na bolsa e mercado a termo, por exemplo.

Primeiro passo: organize-se.

A melhor decisão que um investidor iniciante pode tomar é organizar-se.

Possuir o controle das suas finanças sabendo o quê, quando, como, onde e o por quê se gasta é fundamental para um processo assertivo de tomada de decisão.

Fazer um planejamento financeiro, ter metas e objetivos claros, favorece o alcance dos seus sonhos.

Enquanto pessoa jurídica, ter controle sobre todas as suas notas e cupons fiscais, realizar conciliação bancária, ter um fluxo de caixa e um sistema de gerenciamento que lhe possibilitem informações claras e precisas para um processo de tomada de decisão rápido, assertivo, que impacte nas decisões dos seus investimentos para aumentar a sua rentabilidade, é imprescindível.

Podemos lhe ajudar com isso!

Quais os investimentos mais seguros?

Arrisque-se na medida em que se aperfeiçoa.

Como você já deve ter percebido, gosto muito de ditados populares (risos). Citarei mais um, para não perder o costume: não dê um passo maior do que a sua perna.

Os maiores desastres financeiros que vi, atrelados à tomada de decisão quanto ao investimento a ser realizado, foram por conta da falta de exame de consciência, crenças limitantes referentes ao dinheiro e falta de organização. Tudo isso contribui para a formação do perfil do investidor, correto? Espero que já tenha percebido isso, ao longo do artigo.

As opções mais seguras são aquelas que se encaixam no seu perfil, as melhores entre as demais que estão ao seu alcance. Sei que muitos são taxativos ao dizer: escolha a renda fixa. Mas gosto de ir além. Penso que se tem segurança na sua tomada de decisão, se tem conhecimento suficiente, já identificou o seu perfil e sabe até onde pode se arriscar, é porque analisa o cenário de forma ponderada, logo, dispõe da mentalidade certa para agir e escolher as opções de investimentos mais seguras para si.

No entanto, digamos que você não tenha conhecimento suficiente, ou, se tem e ainda não colocou em prática, então, recomendo que comece a fazer investimentos conservadores. Você começará a construir a base para dar saltos cada vez maiores.

Não se esqueça: para tomar decisões mais assertivas é importante que possa dispor de um sistema de gerenciamento que possibilite uma tomada de decisão rápida, com informações precisas e seguras.

Cuidado: objeto social x investimentos

Você sabia que há uma recomendação quanto à forma com que pessoas jurídicas realizam determinados tipos de investimentos?

Isso quer dizer que empresas não deveriam se arriscar ao investir? Claro que não!

O que quero dizer é que as mesmas devem atentar-se para que seus lucros advindos dos investimentos em renda variável, por exemplo, não sejam maiores do que aqueles frutos dos seus objetos sociais. Isso afetaria o seu regime de tributação e poderia ocasionar uma série de problemas. Isso, sem falar na questão do risco, que se for muito alto, pode afetar o andamento da empresa.

Não se esqueça: investir de forma segura é acima de tudo conhecer o seu perfil, a sua realidade, o cenário em que está envolvido. Essa questão é muito mais profunda do que apenas investir em renda fixa.

E por falar em regime tributário, você sabia que pode dispor de informação, a respeito desse assunto, de forma rápida, na palma da sua mão? Imagina o quanto isso facilitaria a sua vida. Conheça a Agilize Contabilidade Online.

Escolha uma contabilidade movida por facilidades. Conheça a Agilize


Contabilidade completa – Cuidamos de todas as suas obrigações contábeis
Atendimento excelente – Telefone, chat ou e-mail
Tudo pela internet – Emita notas fiscais e acompanhe tudo no nosso aplicativo financeiro gratuito

Quero receber uma proposta

Então, geralmente, o recomendado para pessoas jurídicas é realizar investimentos com um caráter mais conservador. Caso contrário, ao receber os dividendos, você pode transferi-los para sua conta de pessoa física e, assim, dispor de uma gama de opções para rentabilizar o seu dinheiro. Esses procedimentos são realizados para que não hajam problemas com o objeto social da empresa.

E aí, gostou do artigo? Deixe um comentário logo abaixo.

Esse é o primeiro da série que trataremos sobre investimentos.

Assine a nossa newsletter para receber o aviso dos próximos que serão lançados a respeito do tema.

Aproveite e acompanhe-nos nas redes sociais!

Leia também:

Sobre o Autor

Conte-nos o que achou!